Seap desenvolve Videoconferência: "Práticas Exitosas no Sistema Prisional Baiano"

Atividades Ressocializadoras

Na manhã desta quinta-feira (29/06), a Superintendência de Ressocialização Sustentável, através da Diretoria de Acompanhamento Biopsicossocial ao Interno (DABI), realizou a Videoconferência: "Práticas Exitosas no Sistema Prisional Baiano". O evento aconteceu no Instituto Anísio Teixeira com pólos de transmissão simultânea para os municípios do interior do estado.

O Superintendente de Ressocialização Sustentável, Dr. Luis Antônio Fonseca ressaltou o contexto social e a repercussão do encarceramento, enfatizando que a premissa principal da Superintendência é a ressocialização do interno para que ele possa retornar ao convívio social.

A Diretora Biopsicossocial, Dra. Mirian Bruno, falou da importância do evento mencionando que o objetivo do mesmo é socializar e multiplicar as boas práticas desenvolvidas no Sistema Prisional Baiano.

A programação do evento contemplou diversos eixos temáticos e profissionais de áreas distintas, tais como:

As Terapeutas Ocupacionais do Hospital de Custódia e Tratamento- HCT, Sra. Rosa Calasans e Ariane Ralin, apresentaram a atuação brilhante nas Oficinas Terapêuticas do Hospital de Custódia e Tratamento. "Sabemos o quanto é imprescindível viabilizar elementos em face da acessibilidade, humanização e reabilitação dos pacientes acometidos pelo transtorno e pela deficiência mental", destacaram.

A psicóloga do Conjunto Penal de Feira de Santana Sra. Liv Lobo, abordou a prática dos registros fotográficos enquanto processo de alteridade, feminilidade,  gerenciamento de emoções, e a possibilidade de imagens enquanto vinculação e propulsora da maternagem; prática idealizada pela psicologa Gisele Carvalho. E ainda, a prática relacionada a redução de danos, ferramenta substancial de atenção a saúde como medida de intervenção preventiva. Duas práticas autênticas no Conjunto Penal de Feira de Santana.

A médica, Dra. Andreia Beatriz dos Santos, trouxe dados de realidade mediante a apresentação de limites e entraves na transversalidade em saúde, na Penitenciária Lemos de Brito. A despeito, apresentou dimensões e desdobramentos da assistência coesa, e  através da integração da equipe interdisciplinar, remetendo assim ao comprometimento ético dos profissionais que não declinam frente às adversidades. 

No turno vespertino,  o enfermeiro do Presídio Salvador, Josias Oliveira,  apresentou a prática de Educação em Saúde na Atenção Básica, demarcando portanto o compromisso com a prevenção e a promoção da saúde, notadamente, quanto a prevenção, cuidados e riscos das Infecção Sexualmente Transmissíveis-IST, fazendo um excelente trabalho junto aos internos e suas companheiras.

Por fim, a equipe do Conjunto Penal Feminino demonstrou a importância do gerenciamento institucional transversal propiciando assistência integral frente às dimensões do encarceramento feminino.

O evento foi uma importante ferramenta de análise de políticas públicas,  gerenciamento de processos assistenciais,  e práticas para gerir de forma eficaz as Unidades Prisionais.