Seap comemora encerramento do 1º Ciclo do Curso Básico de Inteligência Penitenciária

Capacitação

Na última sexta-feira, na sede da Coordenação de Monitoramento e Avaliação do Sistema Prisional, houve o encerramento do 1º Ciclo do Curso Básico de Inteligência Penitenciária, que contou com 4 turmas ao longo de 3 meses, capacitando 150 agentes públicos.

Com a participação de diversos órgãos como Polícia Militar, Polícia Civil, Ministério Público (CSI), Agente Penitenciário do Distrito Federal, Agentes Penitenciários do Estado da Bahia, entre outros, o curso buscou intensificar a Inteligência Penitenciária Baiana, através do fortalecimento da Doutrina Nacional de Inteligência Penitenciária, proposta pelo DEPEN.

A solenidade de encerramento contou com as presenças do Cel. PM Paulo César, Coordenador da Superintendência de Gestão Prisional; TC PM Osiris, Diretor da Unidade de Teixeira de Freitas; Dr. Luciano Ribeiro Guimarães Filho, Juiz da 1ª Vara Cível de Jequié e Silvana Mendes Mattos, Coordenadora da Diretoria Administrativa. 

Este processo de capacitação foi realizado ao longo de toda a semana, oportunidade em que 40 alunos, entre Agentes Penitenciários (em sua maioria), integrantes da Policia Militar, do GAECO – MPBA, Marinha, Polícia Rodoviária Federal, tiveram a oportunidade de conhecer conceitos básicos de Inteligência, Contrainteligência e Operações de Inteligência. 

A Coordenação de Monitoramento e Avaliação, Agência Central do Sistema Penitenciário Baiano, cumpriu com louvor a meta estabelecida para este ano. Ao longo das 04 edições, os participantes tiveram a oportunidade de qualificar seus conhecimento, o que permite um assessoramento mais qualificado aos seus gestores.

Projetos dessa Coordenação, para o ano de 2018, darão continuidade ao trabalho de capacitação, tanto no nível básico, quanto no avançado, já que existe uma grande parceria firmada com o Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN) desde o 28º Curso Básico de Inteligência Penitenciária para Outros Órgãos, realizado através a Escola Nacional de Serviços Penais (ESPEN), juntamente com a Coordenação Geral de Inteligência do DEPEN (CGIN).